A BOCA NA MODA: LAUREN SCHEFFEL CONTINUA SUA REFLEXÃO SOBRE A COR VERMELHA E DESSA VEZ, FAZ UM PASSEIO PELA MODA

Coleção Resort Verão 2014 de Stella McCartney
Coleção Resort Verão 2014 de Stella McCartney

Na última temporada, a estampa em formato de boca “beijou” as passarelas de marcas como Yves Saint Laurent, Giles Deacon, Jean-Charles de Castelbajac e da brasileira Andrea Marques. Mas, esse beijo de língua vem de longa data, até mais do que se imagina.

O primeiro grande encontro entre a moda e a boca vermelha foi pelo antigo hábito das mulheres pintarem seus lábios nessa cor. Na década de 20, nem todos teriam bons olhos para esse ritual de beleza. Poucas ousariam! Nesse mesmo tempo, o Surrealismo adotaria em suas obras com frequência.

Salvador Dalí faria sua versão de Mae West num quadro de 1935, em destaque a boca da atriz. Man Ray tiraria fotos somente de suas curvas pigmentadas de vermelho. Os dois artistas logo fariam parte do círculo de amizades de Elsa Schiaparelli. Encantada por essa arte, a boca surgiria na moda como detalhe no bolso do terno, por volta de 1937.

O próximo estilista a ter destaque com a estampa foi Yves Saint Laurent. Misturando o surrealismo de Salvador Dalí e o movimento artístico de sua época, a Pop Art, de Andy Warhol e Tom Wesselmann, o costureiro criaria peças com lábios de todos os tipos. O sucesso lhe garantiu fonte de inspiração e a constante repetição do tema até os dias atuais.

Na passarela da Primavera/ 2008, a dupla Viktor & Rolf colocaria como cenário uma gigante foto da top Shalom Harlow, por onde as modelos saiam de sua boca aberta. No mesmo ano, a Neon surge para o Inverno com óculos surreais. Já no Verão de 2010, a carioca Alessa resgataria a estampa pela sua função principal: a comida.

Logo depois, o Surrealismo continua em alta, como no Inverno 2011 de Reinaldo Lourenço e Neon. Em 2012, o olhar seria de fora pela Prada – influencia da parceria com a marca Schiaparelli. Uma polêmica nasceria ao ser lançado uma pequena coleção de acessórios, onde uma boca fuma um cigarro, relembrando a obra de Tom Wesselmann. Manish Arora também teria sua versão, porém com menos alarde.

Além da Prada, a estampa tomou conta de diversos acessórios. As bolsas ganharam formas pelo brasileiro Gilson Martins e da britânica Lulu Guinness. A parceria entre Melissa e Vivienne Westwood renderia uma nova Lady Dragon.

Betsey Johnson, apaixonada pela estampa, criou sua versão vampira com anéis, colares e brincos. Muito antes, no ano de 49, Dalí confeccionaria o famoso broche “Ruby Lips”. O primeiro Eau de Toilette seria lançado em 83, inspirado na face de seu eterno amor, Gala.

Conterrânea do pintor, a estilista Agatha Ruiz de la Prada, sempre se destacando pelo surrealismo em suas peças, foi ao extremo da modelagem ao transformar boca em roupas e até perfume, nominado de Beso. Para 2014, sua projeção é tão forte que aparecerá tanto no Verão quanto no Inverno. Isso mostra o fascínio que os criadores têm por essa estampa que já virou um item clássico.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: reprodução

*Lauren Scheffel é uma aspirante à jornalista com eterna curiosidade pelo lado mais interessante da vida: o bizarro. Melhor ainda se acrescentar pitadas de moda e rock!

Post Relacionados:

VERMELHOU: NOSSO ORÁCULO LAUREN SCHEFFEL FAZ UMA GRANDE REFLEXÃO SOBRE O FETICHE DA BOCA VERMELHA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s