VÍDEO: OTTO LANÇA CLIPE PARA “O QUE DIRÁ O MUNDO”, COM DIREÇÃO DE CAMILA BOTELHO

otto-o-que-dira-o-mundo

Nosso muso Otto carrega o Brasil em suas raízes. Um dos grandes nomes do Manguebeat traz uma alma tropicalista por seu vanguardismo e por romper com os paradigmas tradicionais do mercado. Em seu novo clipe, lançado este mês, o cantor aparece nú. Encarnando um cavalo, aparece preso num estábulo, curvado e de joelhos, ele se contorce ao receber uma forte rajada de água gelada. Está sendo banhado por seu tratador. Acossada na mesma posição, mas voltada para o outro lado, a atriz Amanda Lira, namorada do cantor, recebe o mesmo tratamento insalubre.

A explicação para o inusitado da troca de papéis vem da literatura. Otto, que já foi Gregor Samsa, o homem-barata de “A Metamorfose”, de Franz Kafka, no álbum “Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos” (2010), agora é o cavalo Kholstomér – o puro-sangue que dá nome a um conto de Leon Tolstói.

“O clipe é uma adaptação da história do cavalo que narra seus dias para outro, daí veio à ideia de transformar um homem em um cavalo”, explica o músico, que já havia convertido histórias curtas em videoclipe com “Pra Ser Só Minha Mulher” (“O Homem na Multidão”, de Edgar Alan Poe) e “Pelo Engarrfamento” (Beijo no Asfalto, de Nelson Rodrigues).

Quem assina o clipe é a jovem diretora Camila Botelho, de apenas 21 anos, que ajudou a materializar as ideias de Otto a partir de filmagens nas pitorescas Sobral Pinto e Abaíba, na Zona da Mata mineira. O nu, em especial, foi ideia do próprio músico, que não teve pudores em tirar a roupa – nem a da namorada.

“Ficou maravilhoso o resultado. Ela [Amanda] é a atriz, e a gente confiava muito na fotografia da Camila. E, além disso, eu sou uma pessoa que acha que, com a arte, a gente está sempre protegido de qualquer vergonha.”

“O Que Dirá o Mundo” é a nona faixa de “The Moon 1111”, sexto trabalho solo do cantor e compositor pernambucano, que é inspirado no filme “Fahrenheit 451” (1966), de François Truffaut. A faixa mistura cordas e drum machine (conhecida popularmente como “bateria eletrônica”) às melodias secas de Otto e Lirinha (ex-Cordel do Fogo Encantado).

A letra, composta parte por um adolescente Otto, parte por Lirinha, critica o caos urbano e dá o sentimento da “vida de cavalo” de uma cidade grande.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s