ALÉM SUDESTE: DRAGÃO FASHION BRASIL PREGA A PLURALIDADE AUTORAL EM 15 ANOS DE MODA

Lino Villaventura que abriu a semana de moda comemorando seus 35 anos de moda
Lino Villaventura que abriu a semana de moda comemorando seus 35 anos de moda

Em sua última passagem pelo Brasil, o filósofo francês, Gilles Lipovetsky disse crer que a moda e o superficial estejam hoje no centro das relações sociais. “Foi à moda que nos arrancou da sociedade disciplinar, autoritária, convencional, em proveito de uma sociedade hiperindividualista, na qual os indivíduos vivem em self-service, onde podem escolher seus modos de vida”.

Lipovetsky diz que a moda deixou de ser uma fonte de criatividade, e que hoje é melhor observada por seu poder de distribuição. Esta indústria, antes baseada essencialmente em criação, segue hoje a lógica da individualização, mas não da originalidade. Segundo ele, compras hoje servem para atender gostos passageiros e não para manter os consumidores na moda.

Andando na contramão desse conceito, lá em Fortaleza, estado considerado atualmente um dos destinos turísticos mais procurados do Brasil, vêm o Dragão Fashion Brasil, que encerrou sua 14a edição nesta semana, pensando na autoralidade e na pluralidade da moda brasileira. O evento tem um perfil diferente das semanas de moda do sudeste – Fashion Rio que se caracteriza por um lado comercial com bossa; Minas Trend tem seu forte na moda festa, no artesanal e nos acessórios; e o SPFW que reúne marcas que prezam pela liberdade criativa.

O diretor e idealizador da semana de moda, Cláudio Silveira
O diretor e idealizador da semana de moda, Cláudio Silveira

Num papo com Cláudio Silveira, diretor e idealizador da semana de moda, declarou de maneira certeira. “O nordeste tem que ser visto de uma forma diferenciada. O nordeste para mim é o Brasil. É aqui que tudo acontece e se mistura” e completa de maneira alegre comemorando 15 anos de Dragão Fashion e do Centro Cultural Dragão do Mar, os 287 anos de Fortaleza, os 100 anos de morte do líder dos jangadeiros abolicionistas Chico da Matilde, o verdadeiro Dragão do Mar!

E se aqui no Rio, muitos evitam ter seu nome “correndo a Boca de Matilde”, lá no Ceará é exatamente o que deseja Claudio, pois, o tema desta temporada do evento “Onde há fumaça há fogo”, pretendia mostrar para o Brasil e para o mundo, que existe uma moda autoral, além sudeste, e que passa muito longe do folclore, como a maioria, equivocadamente, acha.

E realmente nessa fumaça teve fogo, pois, a cidade se vestiu para receber esse festival de artes integradas que mistura moda, design, música, gastronomia e business. “Os eventos em outros estados tem um foco mais comercial e tem uma grande visibilidade dentro do país, por sua localização. O que queremos é mostrar que coisas bacanas existem além os grandes centros”.

Lembrando que Fortaleza é a quinta cidade mais populosa do Brasil. “O crescimento do Dragão está profissionalizando todo o estado do Ceará”, conta orgulhoso sobre o apoio do Sesc/ Senac Iracema que levou nomes para palestras e workshops como: os estilistas Mário Queiroz; a expert em noivas Martha Medeiros; e  Pedro Lourenço; o editor de moda, com 25 anos de Vogue, Giovanni Bianco; a papisa do merchandising visual Silvia Demetresco.

Looks masculinos de Lino Villaventura
Looks masculinos de Lino Villaventura

“É gostoso ver que a cidade está abraçando essa causa. A cada edição temos revelado mais talentos. Foi um prazer ter a abertura dos desfiles com uma apresentação em comemoração aos 35 anos de moda do conterrâneo Lino Villaventura. Queremos fazer com que as pessoas respirem essas novidades. Nossa missão é descobrir talentos pelo Brasil”.

O português Nuno Gama que encerrou o evento
O português Nuno Gama que encerrou o evento

E a cidade, que segundo o Ministério do Turismo, tem recebido um número cada vez maior de turistas estrangeiros, especialmente de Portugal, Itália e França. Teve o prazer de abrir sua praia e trazer para sua sala de desfiles o estilista português Nuno Gama, especialista em moda masculina e os italianos do Leitmotiv com seus surpreendentes prints.

A dupla italiana Leitmotiv composta por Fabio Sasso e Juan Caro
A dupla italiana Leitmotiv composta por Fabio Sasso e Juan Caro
Backstage da marca italiana
Backstage da marca italiana

O evento que passa longe de bairrismos e regionalismos, mesmo valorizando a cultura local, importou desse País Tropical, abençoado por Deus, outras 24 marcas para mostrar suas novidades para o próximo verão – Blue Man (que se apresentou também no Fashion Rio), Jadson Raniere, Ronaldo Silvestre, Weider Silverio (que integram o line up da Casa de Criadores), a baiana Marcia Ganem que faz um belo trabalho com fibras e Mario Queiroz que lançou uma linha de moda praia no evento.

Mario Queiroz
Mario Queiroz
Looks masculinos Mario Queiroz
Looks escuros de Mario Queiroz inspirado nos piratas
A moda praia de Mario Queiroz
A moda praia de Mario Queiroz
Looks femininos de Mario Queiroz
Uma série de looks claros de Mario Queiroz

“O Dragão Fashion é uma vitória para o nordeste. Eu luto tanto e me sinto vitorioso por ver o Dragão dar certo, buscando sempre as artes e as raízes do Brasil”. Será que essa garra do Cláudio vem do lema da cidade (presente em seu brasão) é a palavra em latim “Fortitudine”, que em português significa: “força, valor, coragem”?

Foto da mostra Brinquedo - A arte do movimento. A exposição estimula a memória e ativa a sensibilidade. Os brinquedos expostos pertenciam a Coleção Macao Goes e hoje fazem parte do acervo do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.
Foto da mostra Brinquedo – A arte do movimento. A exposição estimula a memória e ativa a sensibilidade. Os brinquedos expostos pertenciam a Coleção Macao Goes e hoje fazem parte do acervo do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.
Exposição lúdica, de caráter didático, percorre o universo do vaqueiro a partir da ocupação do território cearense pela pecuária até a atualidade. Utiliza cenografia, imagens e objetos ligados ao cotidiano do vaqueiro.
Exposição lúdica, de caráter didático, percorre o universo do vaqueiro a partir da ocupação do território cearense pela pecuária até a atualidade. Utiliza cenografia, imagens e objetos ligados ao cotidiano do vaqueiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s