POLÊMICA: FOI APROVADA NA CÂMARA A LEI DA CURA GAY

O deputado federal Marco Feliciano

O deputado federal Marco Feliciano

Eu mega disse que não ia me posicionar sobre esse assunto, pois, não valia o esforço. Mas, os leitores e os amigos pediram e fiz um grande apanhado sobre o assunto… Que promete causar uma grande confusão nas ruas, nos postos do INSS e um rombo nos cofres públicos, porque o que já ouvimos de homossexuais dizendo que vão se aposentar por doença crônica…

Sob o comando do deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), a Comissão de Direitos Humanos da Câmara aprovou na terça-feira, dia 18 de junho, projeto que permite aos psicólogos promoverem tratamento com o objetivo de curar a homossexualidade. Mas, ser gay é uma doença? Então já virou uma epidemia, né?

A proposta, conhecida como “cura gay”, terá que passar ainda por outras duas comissões da Casa: Seguridade Social e Constituição e Justiça. Se aprovada em ambas, segue para o plenário da Câmara. Nós esperamos muito que não seja aprovada, caso o contrário acredito que isso pode aumentar os casos de preconceito e homofobia.

A votação foi simbólica: durante o debate, apenas os deputados Simplício Araújo (PPS-MA) e Arnaldo Jordy (PPS-PA) discursaram contrários ao texto. Araújo tentou adiar a votação com pedidos de leitura da ata da última sessão e retirada do projeto da ata – ambos foram rejeitados. Fiquei pensando realmente se esses deputados tem a capacidade de representar alguém; ainda mais de compor uma comissão que deveria lutar pelo direito das minorias e não excluí-las.

AUTOR DA LEI ESPERAVA POR APLAUSOS

O

O autor do projeto João Campos

O deputado tucano João Campos, autor do projeto conhecido como cura gay, disse que esperava que a própria comunidade gay o aplaudisse quando apresentou a proposta. “Até pensei, quando apresentei esse projeto, que teríamos os aplausos inclusive dos ativistas do segmento LGBT. Porque nesse projeto, uma das finalidades é a gente resgatar a premissa inicial do artigo 5º da Constituição, de que todos são iguais perante a Lei. E essa resolução do Conselho Federal de Psicologia ofende esse princípio na medida em que discrimina o homossexual e não dá o mesmo tratamento ao heterossexual”, disse o tucano. “Estranhamente (ativistas LGBT) se colocaram contra”, afirmou ele. Ele achou que seria considerado o Sassá Mutema, né? O Salvador da Pátria.

APP CURA GAY

O app de cura

O app de cura

Enquanto uns aplicativos bombam por conta de criatividade e diversão, outros causam polêmica na rede. Este é o caso de “Door Of Hope”, app desenvolvido que promete, PASMEM, a “cura gay”. Segundo informações da Setting Captives Free (que criou), em 60 dias o homossexual pode se converter.

Não é preciso dizer que o app está causando um reboliço daqueles na web, né? Mais ainda quando mistura religião junto, já que o “Door of Hope” utiliza diversos preceitos da bíblia para tentar convencer que ser gay é um pecado. Eles categorizam ainda como uma “escravidão” a homossexualidade e que só podem conseguir liberdade através de Jesus.

O aplicativo já foi retirado – por pedidos de comunidades gays – da App Store e Google Play.

GAYS SÃO ABERRAÇÕES

mara-maravilha-morning-show1

Longe dos holofotes, Mara Maravilha, foi convidada para participar do programa Morning Show, da RedeTV!, na última segunda-feira (24 de junho), a cantora de “O Importante é Ser Feliz” foi questionada sobre a polêmica envolvendo o projeto de lei da “cura gay”, proposto pelo deputado federal Marco Feliciano. Com uma carreira na música gospel que já dura quase 15 anos, Mara, se manifestou favoravelmente ao projeto e ao deputado Feliciano – a quem comparou com um boneco de malhação de Judas, devido às críticas que tem recebido.

“Eu acho que ser gay é uma opção, é uma escolha”, disse a cantora. “Não estou aqui defendendo o Feliciano, defendo o direito, a democracia, a liberdade de expressão. Tem muitos pais, muitas mães que não concordam com essa aberração. Eu não acho bonito nem um homem nem uma mulher ficarem em público se atracando. Tem coisa que é particular. Você pegar na mão, fazer um carinho. Imagina dois homens, duas mulheres em público. Eu não acho. Agora se eu pegar uma cena dessa, eu não faço baixaria, eu me retiro”, disse.Ontem (25 de junho), a cantora Mara Maravilha divulgou nota em afirma ter sido mal interpretada sobre sua declaração. No programa, Mara usou a palavra “aberração” para se referir a gays.

Leia o comunicado:

“Estou sendo mal interpretada! Nunca disse que gay é aberração! Não levanto nenhuma bandeira política oportunista! Em todas essas calúnias contra mim, o que vai prevalecer é a minha conduta de respeito e amor ao próximo, sem fazer acepção de pessoas… Aberração é falta de democracia e liberdade de expressão. Bulling é aberração! Não vou me intimidar, continuo contando com o bom senso e a inteligência de todos, independente de suas escolhas sexuais, religiosas e políticas. No demais Vai Tudo Bem, e não pretendo comentar mais sobre o assunto. Porque o justo não se justifica!”, explicou a cantora em suas redes sociais.

A VOZ DAS REDES SOCIAIS

Listamos aqui as manifestações mais bacanas que vimos nas redes sociais sobre o projeto “Cura Gay”, algumas mais sérias, outras muito bem humoradas.

b9i9f9u5vvhjttsonyddgpy37

1016109_476340962450426_663934011_n

1004045_10200850174154196_1343833971_n

382477_605833486107040_1289723267_n

oeste_som-01d03e1555b737d145bd3f87b14a2c87

oeste_som-94dcddd84d6450174480a52e2dc7749e

homosexualismo não tem cura

1016109_574872915869081_822872013_n